Países europeus também querem banir uso de celular ao volante

Não é apenas o Brasil que proíbe totalmente o uso do celular pelo motorista. Na Inglaterra, o governo está prestes a aprovar uma lei que irá banir o celular, mesmo com o uso de fone de ouvido ou viva-voz. O modelo inglês começa a ser debatido em outros países europeus. A Suíça é um desses países que, em breve, poderá copiar a lei britânica. Até agora, os motoristas suíços estão autorizados a falar pelo sistema de viva-voz, mas recebem uma multa de R$ 200 se forem pegos com o celular na mão.Só na cidade de Genebra, com 350 mil habitantes, mais de 1,5 mil multas foram dadas em razão do uso do celular sem o viva-voz. A idéia das autoridades suíças, agora, é começar um debate sobre a proibição total do celular. Apesar da preocupação dos países europeus com o celular, o índice de acidentes mortais em razão do telefone ainda é relativamente pequeno. Na Suíça, acidentes relacionados ao álcool têm 94 vezes mais chance de ocorrer que um acidente devido ao uso de celulares. Segundo um estudo feito no Canadá, o uso do celular é equivalente à presença de 0,8% de álcool no sangue. O curioso é que, na Suíça, o tema que realmente gera polêmica não é o uso do celular ao volante, mas se os usuários de maconha (que é permitida no país) podem, ou não, fumar ao conduzir.MultaNa França, hoje, quem for apanhado conversando no telefone celular enquanto dirige corre o risco de pagar uma multa de 22 euros - ou R$ 66 reais -, que pode ter seu valor dobrado ou triplicado se não for quitada em três dias. Em caso de reincidência, o faltoso perde também três dos 12 pontos em sua habilitação de motorista. Quando todos os pontos são retirados, o motorista fica impedido de dirigir pelo menos por dois anos. Apesar desse rigor, essa é uma das faltas mais comuns hoje na França, não apenas nas ruas de Paris, mas também nas estradas do país. Muitas vezes, motoristas dirigindo a 150 quilômetros por hora ou mais - a velocidade máxima é de 130 kms hora -, ultrapassam outros veículos discutindo negócios ou solucionando problemas familiares, via celular.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.