, O Estado de S.Paulo

24 de julho de 2010 | 00h00

Empate desejado

Um integrante do núcleo da campanha de José Serra diz que um empate do candidato com Dilma Rousseff nas pesquisas seria um "bom cenário" para o início da propaganda eleitoral na TV, em 17 de agosto, pois começariam em condição de igualdade a "campanha para valer". Os tucanos duvidam dos resultados que apontam Dilma na frente de Serra, como da pesquisa Vox Populi divulgada ontem, e têm expectativa de manutenção do empate técnico em outros levantamentos.

BRASIL 2

Lula na TV

O presidente Lula vai apresentar Dilma Rousseff, contando detalhes da vida da ex-ministra, nos primeiros programas de TV da candidata. Para as propagandas estaduais, o critério de participação de Lula será o seguinte: onde houver apenas um candidato governista, a presença é certa. Quando tiver mais de um aliado na disputa, Lula vai observar o comportamento dos não-petistas. Quem não estiver de fato empenhado por Dilma não terá depoimento do presidente.

RIO

Em cima da hora

A caminhada de José Serra na Taquara (zona oeste), quarta-feira passada, foi decidida na tarde daquele mesmo dia, quando o candidato visitava o Comitê Olímpico Brasileiro. Os deputados Otávio Leite e Índio da Costa, candidato a vice, saíram correndo para preparar material e reunir cabos eleitorais.

BRASIL 3

PT faz as contas

Petistas justificam com números as concessões feitas a aliados nos Estados. A atual coligação, de dez legendas, é a maior feita pelo PT em eleições presidenciais. Em 1989, a aliança tinha três partidos. Em 1994, seis. Nas demais disputas, cinco.

PARANÁ

Linha dura

O PPS cobrou empenho das lideranças municipais nas campanhas dos tucanos Beto Richa e José Serra. Os dissidentes correm o risco de não ter legenda para se candidatar em 2012.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.