Palanque, um giro pelas campanhas eleitorais

BRASIL1

Luciana Nunes Leal, O Estado de S.Paulo

30 Setembro 2010 | 00h00

Oposição espalha vídeo anti-PT e PV conta com voto "escondido"

Candidatos petistas a deputado e a senador observaram um aumento da cobrança do eleitorado religioso sobre questões como aborto e união de homossexuais. Por isso, aumentaram a presença de líderes evangélicos em suas campanhas. A ideia é evitar possíveis danos causados pela polêmica que envolve o PT e a candidata Dilma Rousseff, em momento de dúvida em relação às pesquisas eleitorais. Na oposição, candidatos ajudam a disseminar o vídeo em que o pastor Paschoal Piragine Jr, da Igreja Batista, recomenda que os fiéis não votem no PT e exibe imagens impactantes de fetos abortados. Já o PV de Marina Silva, que é da Assembleia de Deus, aposta no voto "escondido" de evangélicos. "Eles até podem receber outras orientações, mas o voto é secreto", diz o presidente do PV do Rio, Alfredo Sirkis (foto).

RIO

Intervalos Barulhentos

A hostilidade dos aliados de Anthony Garotinho (PR) em relação ao governador Sérgio Cabral (PMDB) chegou ao auge no debate da TV Globo, na noite de terça-feira. No estúdio, a torcida do candidato Fernando Peregrino, apoiado pela família Garotinho, chamou Cabral de "bandido" várias vezes. "Cabral, volte a falar bem do Garotinho, como nos velhos tempos", provocou a vereadora Clarissa, filha do ex-governador. Cabral lembrou que Clarissa chegou a liderar uma vaia contra Lula, durante uma visita do presidente ao Rio. "Ele sempre fala isso nos debates", reclamou a vereadora.

SÃO PAULO

Preocupação com o Senado

Ao mesmo tempo que fazem esforço concentrado, com a colaboração do presidente Lula, para tentar levar a eleição de governador para o segundo turno, os petistas preveem uma briga difícil pelas duas vagas no Senado, com a subida nas pesquisas de Aloysio Nunes (PSDB). Mesmo os mais confiantes na eleição de Marta Suplicy (PT) e Netinho (PC do B), passaram a tratar a disputa com cautela. Nas últimas semanas, os tucanos trabalharam para evitar a campanha pelo segundo voto em Romeu Tuma (PTB) e fortaleceram a parceria com o PV do candidato Ricardo Young.

BRASIL2

A culpa é dos adversários

Integrante da equipe do programa de governo de Dilma Rousseff, Moreira Franco (PMDB) culpa a oposição pela não divulgação formal das propostas: "Não íamos queimar o plano neste ambiente de denuncismo raivoso."

BAHIA

Dobradinha DEM-PV

Candidato ao governo do Rio, Fernando Gabeira (PV) participou da propaganda eleitoral baiana, pedindo votos para o candidato ao Senado do DEM, José Carlos Aleluia. Também fez campanha para o verde Edson Duarte.

SOBE...

Ficha Limpa

Candidatos barrados

Apesar de não ter a decisão final, a cargo do STF, a Justiça Eleitoral aplicou a lei nesta eleição e vetou centenas de candidaturas de políticos condenados por colegiados.

E DESCE

Novas regras

Exigências questionadas

A obrigatoriedade de registro de programa de governo no TSE e de dois documentos para votar, aprovada no Congresso, foi ignorada ou contestada pelos próprios parlamentares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.