Palmeirenses acusados de matar corintiano são condenados

Edmilson José da Silva e Alessandro Almeida Borges Pereira, torcedores do Palmeiras, foram condenados a 14 anos, quatro meses e 24 dias de prisão. Eles são acusados de espancar Marcos Gabriel Cardoso Soares, de 16 anos, em 2004, que morreu por causa dos ferimentos. Após quase nove horas de sessão, a sentença foi lida pela juíza Luciane Figueiredo, do 5º Tribunal do Júri de São Paulo, às 3h05 desta quinta-feira, no Fórum da Barra Funda, na zona oeste de São Paulo. O julgamento começou com duas horas de atraso porque a juíza precisou determinar a busca em casa de alguns jurados em substituição aos que faltaram. Contra Edmilson, o placar condenatório do júri foi de 5 x 2. Já contra Alessandro foi de 4 x 3. Crime No dia 3 de maio de 2004, Marcos Gabriel, que seguia para o estádio do Morumbi para assistir ao jogo entre Corinthians e Palmeiras, foi espancado por um grupo de torcedores palmeirenses na esquina da Rua da Várzea com a Avenida Pacaembu, na região da Barra Funda, próximo à sede da Torcida Organizada Mancha Verde. Após o espancamento, o jovem foi encaminhado para o Hospital Municipal Álvaro Dino de Almeida, na Barra Funda, onde foi atendido por um cirurgião e liberado sem que a família fosse notificada. No dia seguinte, em casa, Marcos morreu. A acusação queria a condenação por homicídio triplamente qualificado, o que poderia resultar em pena de 30 anos de prisão. O advogado de Edmilson, Francisco Carlos da Silva, afirmou que vai recorrer da sentença alegando que o júri estava ainda sob efeito emocional causado pela morte cruel do menino João Hélio, arrastado por bandidos pelas ruas na cidade do Rio.

Agencia Estado,

15 Fevereiro 2007 | 04h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.