Pandemia no olhar das crianças
Conteúdo Patrocinado

Pandemia no olhar das crianças

Filhos de apresentadores e colunistas da ‘Rádio Eldorado’ retratam em forma de desenho como eles estão presenciando a rotina da quarentena

Media Lab Estadão, O Estado de S.Paulo
Conteúdo de responsabilidade do anunciante

21 de março de 2021 | 07h00

Se para os adultos não está sendo fácil enfrentar a pandemia, que já dura mais de um ano, imagine para as crianças. Para entender melhor como a quarentena está sendo sentida pelos menores, o Media Lab Estadão convidou filhos de colunistas e apresentadores da Rádio Eldorado FM (107,3-SP), emissora do Grupo Estado, para enviarem um desenho sobre como veem o período. Veja o que prepararam para este especial os filhos de Sarah Oliveira, apresentadora do Minha Canção, Carolina Ercolin, âncora do Jornal Eldorado, Renata Cafardo, colunista de Educação, Daniel Gonzales, do programa Start, Paulo Lima, apresentador do Trip FM, e Emanuel Bomfim, editor e apresentador do Fim de Tarde Eldorado. Confira.

Estela, 5 anos, e Antonio Cafardo Takahashi, 8 anos, filhos de Renata Cafardo

Estela desenhou o pai, que “pegou coronavírus, mas ninguém mais pegou. Ele foi para o hospital”. Já o irmão fez um desenho dramático, com um rapaz “fazendo exame de covid”.

Theo Lima, de 10 anos, filho de Paulo Lima

Para mostrar o que pensa da pandemia, Theo fez uma montagem. “Achei que a pandemia demorou mais do que deveria. Neste ano, me senti feliz, mas ao mesmo tempo triste e com saudades dos meus amigos que quase não vi pessoalmente. Tive medo que meus familiares pegassem, mas deu tudo certo e ninguém pegou”, diz. Em seu desenho, colocou soldados da Primeira Guerra Mundial, “representando a gripe espanhola que devastou mais o mundo do que a covid até agora”. “Coloquei imagens que representam a pobreza, porque as pessoas mais pobres são mais suscetíveis a ter covid-19, porque não têm dinheiro para se proteger e fazer isolamento ou pagar um hospital. Coloquei um frasco representando a busca pela vacina.” 

Chloe, 8 anos, e Martins Lopes, 5 anos, filhos de Sarah Oliveira

Os irmãos fizeram juntos o desenho “Alguns medos e muitas alegrias”, que retrata amigos e amores de máscara brincando, o “medo da agulha”, mas “feliz pela vacina” na sala de vacinação.

Bernardo, 6 anos, e Benício Ercolin Ritter, de 8 anos, filhos de Carolina Ercolin

Bernardo desenhou como é o coronavírus, visto “com um binóculo”. Já Benício fez o coronavírus, “que tá ficando cada vez maior”. “Embaixo fiz um tubarão correndo atrás do presidente que não usa máscara”, descreve.

Bernardo Pietro Quadra Gonzales, de 8 anos, filho de Daniel Gonzales

Bernardo desenhou “A Esperança”. “A pandemia tem me deixado muito triste. E, como eu não aguento mais ver tanta notícia ruim, fiz um desenho mostrando esses tempos difíceis, com o céu cinza e a escola fechada, e a vacina no meio trazendo a esperança e transformando a realidade em uma época mais alegre e colorida, voltando para a escola e a conviver com meus amigos”, explica.

Maria Alice, de 10 anos, e Isadora Bomfim, de 6, filhas de Emanuel Bomfim

Maria Alice “quis mostrar como as pessoas estão se sentindo desde que a pandemia começou”. E Isadora retrata “como era tudo antes da pandemia e como ficou depois, até o sol antes era mais feliz”. “O antes é o triste e o depois será feliz de novo”, finaliza Isadora. Tomara!

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.