Pandemia provoca novo uso da internet residencial no Brasil

AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Conteúdo Patrocinado

Pandemia provoca novo uso da internet residencial no Brasil

Maior tráfego de informações revela que hábitos de consumidores mudou nos últimos dois meses

Hyundai, Media Lab Estadão
Conteúdo de responsabilidade do anunciante

18 de maio de 2020 | 16h35

Os número auferidos pelo Comitê Gestor da Internet brasileira (CGI.br) mostra que a pandemia provocada pelo coronavírus realmente está transformando o uso das redes, principalmente as domésticas. O tráfego medido no Brasil vem registrando recordes.

Um pico de 11 terabits por segundo foi atingindo pela primeira vez em 23 de março e, depois, no dia 6 de maio. Antes da pandemia, os momentos de maior tráfego na rede não passava dos 9 terabits por segundo. Se antes o uso doméstico era mais intenso entre 20 horas e 22 horas, atualmente, a faixa está bem mais elástica, com grande quantidade de tráfego no período da tarde.

Desafio de garantir a qualidade da conexão

A maior demanda por conexão gerou preocupações no início das medidas de distanciamento social, havia o risco de que surgisse gargalos na infraestrutura das redes brasileiras, o que não vem ocorrendo, segundo os gestores.

Uma nova relação com a internet

O maior tráfego de informações também revela que os hábitos dos consumidores mudou nestes últimos dois meses. Muitos estão trocando a presença física em supermercados e farmácias pelas comprar online.

Hyundai Express

Para acompanhar os novos hábitos, a Hyundai Motor Brasil, por exemplo, decidiu inovar no jeito de vender. Agora, é possível comprar um carro novo 0km sem sair de casa, por meio do Hyundai Express.

Mas todas essas mudanças vieram para ficar? Quais os desdobramentos deste possível novo normal para as empresas e os consumidores? Clique aqui e saiba mais sobre o assunto.  

Tudo o que sabemos sobre:
internetHyundaicoronavírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.