Pane na Embratel afeta Cindacta-1 e prejudica voos no País

Rompimento de cabos em SP e MG prejudica as operações; 45% dos voos passam pelo centro de controle

Tânia Monteiro, de O Estado de S.Paulo, e Fabiana Marchezi, da Central de Notícias,

01 de setembro de 2009 | 14h26

Passageiros esperam por voo no aeroporto de Cumbica, em Guarulhos. Foto: Márcio Fernandes/AE

BRASÍLIA - Uma pane na Embratel provoca problemas no Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta-1), em Brasília, na tarde desta terça-feira, 1º. Uma fonte do Comando da Aeronáutica informou que o atraso dos voos e suspensão de alguns voos controlados pelo Cindacta foi provocado pelo rompimento de cabos de fibra ótica nas regiões entre Barretos e Ribeirão Preto, em São Paulo, e Confins, em Minas Gerais.

 

Por causa desse problema, muitas frequências usadas para contato entre o Centro de Controle Aéreo e os pilotos ficaram sem funcionar, e para manter a segurança dos voos houve mudança nas escalas, pousos e decolagens, provocando atrasos. O Cindacta-1 controla 45% do tráfego aéreo do País.

 

Segundo essa fonte, o problema de comunicação é de responsabilidade da concessionária, mas a Aeronáutica está trabalhando em conjunto com os setores de telecomunicações para tentar restabelecer o completo funcionamento das frequências usadas pelos pilotos.

 

O Centro Geral de Navegação Aérea está discutindo junto com as companhias aéreas o replanejamento dos voos. Até as 13h50, os atrasos superiores a 30 minutos eram de 6% de voos da TAM e 8% de voos da Gol. Não há previsão ainda, de normalização do sistema. Mas a maior quantidade de voos ocorre a partir das 17 horas.

 

Atualizado às 14h57 para acréscimo de informações

Tudo o que sabemos sobre:
Cindacta 1Infraerovoosaeroportospane

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.