Panes no Cindacta-2 paralisam tráfego aéreo no sul do País

Duas panes no sistema de rádio do Cindacta-2, baseado em Curitiba, paralisaram nesta sexta-feira o tráfego aéreo na Região Sul do País. A pane mais grave foi às 18 horas, deixando sem comunicação por uma hora e meia os aviões que voavam na região, segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Por volta das 20 horas, o sistema voltou a funcionar, mas o congestionamento de aeronaves já era grande. A Anac não informou quantos vôos atrasaram por causa do problema.Para evitar maiores problemas para os passageiros, a agência determinou a extensão do horário de fechamento do aeroporto de Congonhas até a 1 hora deste sábado. Ainda segundo a Anac, a primeira pane no Cindacta-2 ocorreu às 14 horas e durou 25 minutos.Vôos liberadosDe acordo com a Força Aérea Brasileira (FAB), depois da pane das 18 horas, os vôos começaram a ser liberados às 19h45. Não há uma informação completa de quantos vôos atrasaram por causa das panes, mas é certo que houve reflexos no resto do País, mas não de forma alarmante. O boletim com informativos do tráfego aéreo no País, levantados em 11 aeroportos, dizia que dos 419 vôos previstos, apenas 22 tiveram atrasos superiores a uma hora, o que corresponde a 5,25%.Em 5 de dezembro, o Cindacta 1 sofreu uma das mais graves panes de comunicações em rádio freqüência, que levou ao mais sério apagão aéreo que o Brasil já viveu com cancelamento de inúmeros vôos. O problema inicial foi o mesmo de ontem de Curitiba: problemas nos equipamentos de comunicações entre o centro e os pilotos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.