Panfleto com foto de Lula e número de Alckmin vai parar no TSE

A coligação A Força do Povo, do candidato à reeleição Luiz Inácio Lula da Silva, entrou com uma representação contra a coligação Por um Brasil Decente e o candidato à Presidência da República, Geraldo Alckmin, por suposta propaganda eleitoral irregular praticada no interior de Pernambuco, na véspera e no dia do primeiro turno da eleição, 1° de outubro, segundo o site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O caso será julgado pelo ministro Carlos Alberto Menezes Direito.A propaganda teria sido feita por distribuição de panfletos que instruíam a votação do eleitor, dizendo ?Vote Assim?, com os nomes de candidatos a deputado federal, deputado estadual, senador e governador que receberiam os votos. No mesmo panfleto, constava a foto de Lula, seguido do número 45, que na verdade corresponde ao candidato Alckmin.A açãoNa representação, os advogados do candidato-presidente Lula afirmam que a propaganda foi feita de má fé e de maneira criminosa, pois induziu o eleitor a erro. Eles afirmam também que o Ministério Público abriu investigação para apurar os fatos.No panfleto, o primeiro a aparecer era o candidato a deputado federal Oswaldo Coelho (PFL), seguido de Geraldo Coelho (PFL), candidato a deputado estadual. Em seguida, vinham o candidato eleito ao Senado, Jarbas Vasconcelos (PMDB) e o candidato a governador, Mendonça Filho (PFL).Os advogados ressaltam que o panfleto teria sido confeccionado de forma a gerar no eleitor a sensação de confiabilidade, ?uma vez que todos os demais cargos que antecedem ao de Presidente da República estão com as fotos e respectivos números corretos?. Lembram que hoje, vota-se no número e não no nome do candidato.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.