EFE
EFE

Papa afasta dois cardeais ligados a escândalos

Eles integravam o C9, que aconselha Francisco sobre a reforma da Santa Sé; australiano já teria sido condenado

Agências internacionais, O Estado de S.Paulo

14 de dezembro de 2018 | 00h57

O Vaticano confirmou oficialmente que o papa Francisco afastou de seu círculo de conselheiros mais próximos o cardeal George Pell, acusado na Austrália de agressões sexuais contra menores, e o chileno Francisco Javier Errázuriz, suspeito de ter escondido os atos de um padre pedófilo.

Os dois fazem parte do conselho de nove cardeais de todos os continentes, chamado C9, que aconselha o Papa Francisco sobre a reforma da administração da Santa Sé. O papa escreveu aos cardeais para agradecer-lhes “pelo trabalho que realizaram por cinco anos”. O anúncio ocorre antes de uma cúpula sobre a “proteção de menores”, entre 21 e 24 de fevereiro, organizada pelo papa, que contará com a presença dos presidentes das conferências episcopais do mundo todo (incluindo a CNBB), de especialistas, mas também de vítimas de abusos sexuais cometidos por clérigos. Trata-se de um desafio, enquanto alguns bispos da Ásia e da África afirmam que não estão envolvidos em um problema “ocidental”.

O papa afastou Pell da poderosa secretaria de Economia há 18 meses, para que ele pudesse se defender diante da Justiça australiana. Ontem, dois meios religiosos na internet, o National Catholic Reporter e a America Magazine, informaram que ele foi condenado por unanimidade, mas a pena só será conhecida em fevereiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.