Papa Bento XVI lamenta tragédia no Realengo e se diz 'consternado'

Documento enviado ao arcebispo do Rio, que planeja missa na escola, pede 'respeito e justiça pelas pessoas'

O Estado de S.Paulo, com Priscila Trindade, da Central de Notícias

08 Abril 2011 | 13h33

RIO, 8 - O papa Bento XVI enviou, por intermédio do secretário de Estado do Vaticano, cardeal Tarcisio Bertone, ao arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, uma mensagem de solidariedade às vítimas do massacre da Escola Municipal Tasso da Silveira e a toda a população carioca.

 

No texto, Bento XVI se declara "profundamente consternado" com o ataque contra "crianças indefesas" e convoca a população da cidade a repudiar a violência e a construir uma sociedade "fundada sobre a justiça e o respeito pelas pessoas". O papa também pede que a esperança faça prevalecer "o perdão e o amor sobre o ódio e a vingança" e abençoa as vítimas.

 

Para a próxima quarta-feira, 13, o arcebispo planeja celebrar uma missa em homenagem às vítimas do massacre no Realengo dentro do ginásio do colégio. Celebração está prevista para começar às 9h.

 

Leia a íntegra da mensagem enviada pelo Vaticano:

 

"Profundamente consternado pelo dramático atentado realizado contra crianças indefesas em um colégio municipal no bairro do Realengo, Sumo Pontífice deseja assegurar através de Vossa Excelência Revma sua solidariedade e conforto espiritual às famílias que perderam seus filhos e toda a comunidade escolar com votos de pronta recuperação dos feridos. O Santo Padre convida todos os cariocas, diante desta tragédia, a dizer não à violência que constitui caminho sem futuro, procurando construir uma sociedade fundada sobre a justiça e o respeito pelas pessoas, sobretudo os mais fracos e indefesos. Em nome de Deus para que a esperança não esmoreça nesta hora de prova e faça prevalecer o perdão e o amor sobre o ódio e a vingança, Sua Santidade Papa Bento XVI concede-lhes uma confortadora Bênção Apostólica."

 

Cardeal Tarcisio Bertone

Secretário de Estado do Vaticano

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.