Papa Francisco canoniza quatro beatos

Papa Francisco canoniza quatro beatos

Tornaram-se santos a espanhola María de la Purísima, o italiano Vincenzo Grossi e os franceses Louis Martin e Maria Celia Guérin

O Estado de S. Paulo

18 Outubro 2015 | 10h25

CIDADE DO VATICANO - O papa Francisco canonizou neste domingo, 18, a beata espanhola María de la Purísima, madre superiora geral da Congregação das Irmãs da Companhia da Cruz, durante uma cerimônia no Vaticano, além de dois beatos da França e um da Itália.

O caso de María de la Purísima é singular, pois foi canonizada apenas 11 anos após começar a causa para proceder sua elevação aos altares e 17 após sua morte, um processo mais rápido do que costuma requerer a Igreja Católica.

María de la Purísima nasceu em Madri em 20 de fevereiro de 1926 com o nome de María Isabel Salvat Romero e morreu em Sevilla em 31 de outubro de 1998.

Neste domingo foi incluída no livro dos santos, graças ao milagre realizado em favor um homem que estava em estado de coma e que despertou sem sequelas devido a sua intercessão.

Anteriormente, tinha sido declarada beata depois que, em 27 de março de 2010, Bento XVI assinou o decreto que reconhecia um milagre de cura de uma menina da cidade de Huelva, no sul da Espanha, também atribuído à intercessão da religiosa.

"Santa María de la Purísima viveu pessoalmente com grande humildade o serviço aos mais necessitados, com uma dedicação particular aos filhos dos pobres e doentes", afirmou o papa Francisco durante o ato no Vaticano.

Canonização. Junto a ela, também foram transformados em santos outros três beatos, o sacerdote diocesano italiano Vincenzo Grossi, fundador do Instituto das Filhas do Oratório (1845-1917), assim como os laicos franceses Louis Martin (1823-1894), e sua mulher, Maria Celia Guérin (1831-1877), pais de Santa Teresinha de Lisieux (1873-1897).

Os franceses Louis e María Celia foram canonizados pela cura milagrosa de Carmen, uma menina de Valência, na Espanha, que nasceu prematura em 2008 com graves complicações, mas que foi salva pela intercessão dos agora já transformados em santos.

Carmen e seus pais estiveram nesta celebração da qual participaram milhares de fiéis católicos de todo o mundo. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.