Vaticano/EFE
Vaticano/EFE

Papa critica pessoas que saem de férias para fugir dos bloqueios da covid-19

Muitos países impuseram restrições para evitar a propagação do novo coronavírus, que matou mais de 84 milhões de pessoas em todo o mundo

Redação, O Estado de S.Paulo

03 de janeiro de 2021 | 09h40
Atualizado 03 de janeiro de 2021 | 18h00

VATICANO - O papa Francisco criticou neste domingo, 3, as pessoas que viajaram para o exterior em férias para escapar dos bloqueios do novo coronavírus em seus países, dizendo que precisavam demonstrar mais consciência pelo sofrimento dos outros. 

Falando após sua bênção semanal ao meio-dia, Francisco disse que leu notícias de jornal sobre pessoas que pegavam voos para fugir de restrições impostas pelos governos e buscar diversão em outro lugar. 

“Eles não pensaram nos que estavam ficando em casa, nos problemas econômicos de muitas pessoas que foram duramente atingidas pelo bloqueio, nos doentes. (Pensaram) apenas em sair de férias e se divertir”, disse o pontífice. 

"Isso realmente me entristeceu", afirmou ele em um discurso em vídeo da biblioteca do Palácio Apostólico do Vaticano. 

A bênção tradicional do Angelus é normalmente dada de uma janela com vista para a Praça de São Pedro, mas foi realizada na parte de dentro para evitar que qualquer multidão se reunisse e limitar a disseminação da covid-19

"Não sabemos o que 2021 nos reserva, mas o que todos nós podemos fazer juntos é nos esforçarmos um pouco mais para cuidar uns dos outros. Existe a tentação de cuidar apenas de nossos próprios interesses", afirmou. 

Muitos países impuseram restrições para evitar a propagação do novo coronavírus, que matou mais de 1,8 milhão de pessoas em todo o mundo, de acordo com a última contagem. Mais de 84 milhões de casos de covid-19 já foram registrados./Reuters

Tudo o que sabemos sobre:
Papa Franciscocoronavírus

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.