EFE/FABIO FRUSTACI
EFE/FABIO FRUSTACI

Papa está consciente e respira normalmente após cirurgia, segundo o Vaticano

Pontífice passou por procedimento no intestino e deve ficar sete dias internado

Redação, O Estado de S.Paulo

05 de julho de 2021 | 09h17

O papa Francisco está em boas condições gerais, consciente e respira normalmente após a intervenção cirúrgica à qual foi submetido ontem devido a uma uma diverticulite, inflamação na parede do intestino grosso comum em pessoas acima de 50 anos, segundo informou nesta segunda-feira, 5, o Vaticano.

O pontífice, de 84 anos, continua internado na Policlínica Gemelli, em Roma, onde se recupera da operação de estenose diverticular do cólon, que havia sido marcada com antecedência.

"Sua Santidade o Papa Francisco está em bom estado geral, consciente e respirando sozinho", disse o porta-voz do Vaticano, Matteo Bruni, em nota divulgada pela Santa Sé, no primeiro boletim médico sobre o estado de saúde do pontífice emitido hoje.

Bruni explicou que "a cirurgia para estenose diverticular realizada na noite de 4 de julho envolveu uma hemicolectomia esquerda e durou aproximadamente três horas"."A expectativa é de uma hospitalização de aproximadamente sete dias, sem complicações", acrescentou.

Na noite anterior, após horas de espera por notícias sobre o estado do pontífice, o próprio Bruni havia anunciado que Francisco havia "reagido bem" e que uma anestesia geral havia sido aplicada, sem dar maiores detalhes, exceto que a cirurgia tinha sido realizada por Sergio Alfieri, chefe do departamento digestivo de Gemelli, acompanhado por uma equipe de outros oito médicos.

O papa foi internado neste domingo, 4, após a oração dominical do Angelus, quando anunciou aos fiéis reunidos na Praça de São Pedro, no Vaticano, que sua próxima viagem seria à Hungria e à Eslováquia e aconteceria entre os dias 12 e 15 de setembro. Sua internação ocorreu de forma totalmente anônima e acompanhada apenas por um motorista e por um de seus colaboradores mais próximos, de modo que sua presença passou despercebida no centro médico, segundo fontes hospitalares citadas pela imprensa italiana.

O anúncio causou surpresa, pois não se sabia que Francisco teria de se submeter a uma operação que estava marcada para os primeiros dias de julho, mês em que o pontífice reduz ao máximo seus atos para descansar e só mantém sua presença na oração do Angelus.

Segundo especialistas no aparelho digestivo, o objetivo deste tipo de cirurgia é reduzir os problemas causados pelos divertículos, que são pequenas hérnias na parede do cólon com um amplo espectro de manifestações clínicas, incluindo hemorragia, inflamações (diverticulites) e as complicações associadas. /COM EFE

Tudo o que sabemos sobre:
Papa Franciscocirurgiaintestino

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.