Giuseppe Lami / EFE
Giuseppe Lami / EFE

Papa faz apelo a representantes eclesiásticos contra ‘blogs e grupos’ hostis à Igreja

Carta escrita por Francisco e entregue em reunião com núncios ocorre dias após ataques de arcebisp em entrevista

Redação, O Estado de S.Paulo

13 de junho de 2019 | 17h05

Em uma audiência com mais de cem representantes pontifícios, nesta quinta-feira, 13, o papa Francisco distribuiu um discurso por escrito em que repreende o uso de blogs e a associação com "grupos hostis" ao pontífice e à Igreja Católica. A orientação foi incluída entre os preceitos recomendados para a atuação dos núncios apostólicos, que são representantes diplomáticos do Vaticano. 

A reunião, convocada pelo papa, ocorre três dias após a publicação de uma entrevista com o arcebispo Carlo Maria Viganò, ex-núncio em Washington, que criticou a atuação de Francisco e lançou suspeitas sobre os dois papas anteriores, Bento XVI e João Paulo II. Após acusar o atual papa de ser conivente com as acusações acusações de abuso sexual relativas ao ex-cardeal e arcebispo emérito Theodore McCarrick, Viganó insinuou que seus antecessores também poderiam ter suas reputações prejudicadas pelo caso. O arcebispo não apresentou provas do que disse.

No discurso entregue nesta quinta, o papa escreveu que é "incompatível ser representante pontifício com criticar o papa por trás, ter blogs ou até mesmo se unir a grupos hostis a ele, à Cúria e à Igreja de Roma." O papa também dirigiu algumas palavras em particular aos presentes, segundo o Vatican News, veículo oficial do Vaticano. Um total de 98 núncios apostólicos compareceram à reunião, que deve durar até o sábado. 

"Vocês não devem jamais esquecer que representam o rosto da catolicidade e a universalidade da Igreja nas igrejas locais espalhadas em todo o mundo e nos governos", disse o papa aos representantes eclesiásticos. Ele acrescentou que o núncio deve exercer papel da "mediação, da comunhão, do diálogo e da reconciliação".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.