Vatican Media/AFP
Vatican Media/AFP

Papa Francisco adapta famosa citação de Shakespeare em apelo contra mudança climática

O papa criticou o ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, quando retirou a nação do acordo de Paris de 2015 para limitar o aquecimento global. Por outro lado, o Vaticano deu as boas-vindas ao retorno do presidente Joe Biden ao acordo

Redação, O Estado de S.Paulo

30 de março de 2021 | 14h38

VATICANO - O papa Francisco adaptou nesta terça-feira, 30, uma famosa citação de Shakespeare em Hamlet em um apelo às pessoas para não permanecerem cegas à destruição da mudança climática e da migração em massa que ela pode causar, escrevendo: "Para ver ou não ver, essa é a questão."

Francisco prosseguiu exortando as pessoas a trabalharem juntas para proteger "a criação, nossa casa comum" e não "permanecer" no individualismo, no prefácio de um documento do escritório de desenvolvimento do Vaticano sobre o cuidado pastoral das pessoas deslocadas por eventos climáticos. 

“Eu sugiro que adaptemos o famoso 'ser ou não ser' de Hamlet e afirmemos: 'Ver ou não ver, essa é a questão!' O que começa com a visão de cada um, sim, a minha e a sua”, escreveu Francisco.

“Não vamos sair de crises como a climática ou a covid-19 nos acomodando no individualismo, mas apenas 'sendo muitos juntos', por meio do encontro e do diálogo e da cooperação”, acrescentou ele no prefácio do estudo de 30 páginas divulgado nesta terça-feira. 

Os conservadores na Igreja, muitos alinhados com as forças políticas conservadoras, são céticos quanto às mudanças climáticas e contestam a opinião científica da maioria de que o aquecimento global é causado principalmente pelas pessoas. 

Francisco parecia apelar para esses céticos. “Quando as pessoas são expulsas porque seu ambiente local se tornou inabitável, pode parecer um processo da natureza, algo inevitável”, escreveu o pontífice. 

"No entanto, a deterioração do clima é muitas vezes o resultado de escolhas erradas e atividades destrutivas, de egoísmo e negligência, que colocam a humanidade em conflito com a criação, nosso lar comum", disse ele. 

O papa criticou o ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, quando retirou a nação do acordo de Paris de 2015 para limitar o aquecimento global. Por outro lado, o Vaticano deu as boas-vindas ao retorno do presidente Joe Biden ao acordo

Na Cúpula de Adaptação ao Clima, organizada pela Holanda em janeiro, os líderes foram informados de que a mudança climática poderia deprimir a produção global de alimentos em até 30%, enquanto a elevação do mar e maiores tempestades poderiam forçar centenas de milhões de pessoas em cidades costeiras a deixarem suas casas.

"Realmente parecemos estar no ponto de decidir, ativa e passivamente, se vamos cuidar da única casa que temos ou destruí-la", disse o cardeal Michael Czerny, subsecretário do escritório de desenvolvimento do Vaticano, em um coletiva de imprensa apresentando o trabalho. /Reuters

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.