Vatican Media/AFP
Vatican Media/AFP

Papa Francisco: Igreja 'não é grupo de empresários ou partido político'

Em catequese realizada nesta quarta-feira, 25, ele dedicou sua fala aos fundamentos da vida eclesiástica: 'a Igreja não cresce fazendo proselitismo'

Redação, O Estado de S.Paulo

25 de novembro de 2020 | 08h42

VATICANO - O papa Francisco disse que a Igreja não é um mercado, um grupo de empresários ou um partido político, é apenas “a obra do Espírito Santo”. A afirmação foi feita durante audiência geral celebrada sem fiéis na biblioteca do palácio apostólico nesta quarta-feira, 25. 

Francisco dedicou a catequese desta quarta-feira às preces da Igreja e explicou que existem “quatro características essenciais da vida eclesial: escutar os ensinamentos dos apóstolos, cuidar da comunhão mútua, compartilhar o pão e a oração”. Ele disse ainda que “tudo o que nasce na Igreja fora destas ‘coordenadas’ não tem fundamento.” 

“O que não está dentro dessas coordenadas carece da virtude do ser eclesial. É como uma casa construída em cima de areia”, disse o papa. Ele então afirmou que “a Igreja não é um mercado” e que tampouco “é um grupo de empresários que segue adiante com uma nova empresa”.  

“Às vezes sinto enorme tristeza quando vejo alguma comunidade que, com boa vontade, escolhe o caminho errado porque pensa em transformar a Igreja em tertúlias, como se fosse um partido político”, completou.  

Ele também sinalizou que a Igreja “não cresce fazendo proselitismo” ao citar a frase de Bento XVI: “a Igreja não cresce fazendo proselitismo, cresce por atração”. E continuou: “Se falta o Espírito Santo, que é o que atrai Jesus, ali não há Igreja. Há um lindo clube de amigos, bom, com boas intenções, mas não há Igreja”./EFE

Tudo o que sabemos sobre:
Papa FranciscoBento Xviigreja

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.