Papa Francisco nomeia primeiros bispos brasileiros de seu pontificado

Padre Luiz Antonio Cipolini vai para a Diocese de Marília (SP) e padre José Aparecido Gonçalves de Almeida será bispo auxiliar da Arquidiocese de Brasília

José Maria Mayrink, O Estado de S. Paulo

08 Maio 2013 | 10h59

O papa Francisco fez na quarta-feira, 8, as duas primeiras nomeações de bispos brasileiros de seu pontificado: padre Luiz Antonio Cipolini, de 50 anos, para a Diocese de Marília (SP) e monsenhor José Aparecido Gonçalves de Almeida, de 52 anos, para bispo auxiliar da Arquidiocese de Brasília. Os dois são paulistas.

Nascido em Caconde (SP) em 1962 e ordenado sacerdote em 1986, padre Luiz Antonio era, desde 2006, professor e reitor do Instituto Diocesano de Filosofia e pároco da igreja de Nossa Senhora de Fátima em São João da Boa Vista (SP). É licenciado em Teologia Moral pelo Instituto Alphonsianum, dos missionários redentoristas, em Roma. E irmão do bispo de Amparo, d. Pedro Carlos Cipolini, dez anos mais velho.

"Recebi a notícia de minha nomeação com alegria e, ao mesmo tempo, com um sentimento de muita responsabilidade, principalmente pelo fato de ter sido o primeiro bispo nomeado por Francisco, um papa que tem dado provas de muito amor pela Igreja e pelo povo, sobretudo pelas pessoas que mais precisam", disse padre Cipolini por telefone ao Estado, de São João da Boa Vista.

A ordenação episcopal do novo bispo de Marília será no dia 7 de julho, duas semanas antes de Francisco desembarcar no Rio para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ). Mesmo que não tenha ainda tomado posse na diocese, ele deverá participar do encontro do papa com bispos, padres e seminaristas no dia 27 na catedral do Rio. "Telefonei hoje (quarta) para o bispo emérito de Marília, d. Oswaldo Giuntini, para marcar a posse."

Santo Amaro. Monsenhor José Aparecido, cuja nomeação foi também anunciada ontem pelo Vaticano, nasceu em Ourinhos (SP) em 1960 e foi ordenado em 1986. Doutor em Direito Canônico pela Universidade da Santa Cruz, do Opus Dei, em Roma, foi pároco nos bairros de Parelheiros e Jardim Prudência, na Diocese de Santo Amaro em São Paulo. Era, até agora, subsecretário do Pontifício Conselho para os Textos Legislativos, em Roma, onde morava 20 anos. "Fiquei muito surpreso e feliz por voltar ao Brasil", disse à Rádio Vaticana.

Mais conteúdo sobre:
Papa Francisco

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.