Arquivo/Estadão
Arquivo/Estadão

Papa Paulo VI, líder do Concílio Vaticano II, será canonizado

Paulo VI foi responsável por levar adiante uma série de renovações na Igreja iniciadas por seu antecessor

O Estado de S.Paulo

21 Maio 2018 | 22h22

O papa Paulo VI, que comandou a Igreja Católica entre 1963 e 1978, incluindo a maior parte do Concílio Vaticano II, será canonizado no dia 14 de outubro. O anúncio foi feito no fim de semana pela Santa Sé. Também será tornado santo na mesma data d. Oscar Arnulfo Romero, arcebispo de El Salvador.

O papa presidirá a canonização na Praça de São Pedro durante o sínodo dedicado aos jovens, com a presença de bispos de todo o mundo. Com o papa Giovanni Battista Montini e o arcebispo salvadorenho, serão também canonizados os sacerdotes italianos Francesco Spinelli e Vincenzo Romano, a religiosa alemã Maria Caterina Kasper e a espanhola Nazaria Ignacia March Mesa.

++ ‘Deus te fez assim e te ama’, diz papa Francisco a homossexual que foi abusado por padre no Chile

História. Paulo VI foi responsável por levar adiante uma série de renovações na Igreja iniciadas por seu antecessor, João XXIII - canonizado em 2014 por Francisco. Os teólogos e os peritos médicos vaticanos reconheceram como milagre necessário para a cura de um bebê ainda no ventre da mãe.

Já Romero foi assassinado “por ódio à fé”, em 24 de março de 1980. Pela Igreja, o martírio pode levar à canonização sem a necessidade de comprovar um milagre. O Estado de S. Paulo foi o último jornal a quem ele deu uma entrevista. “Aqui todos temos medo de morrer”, disse. Em suas homilias, o arcebispo denunciava a violência e divulgava os nomes de pessoas mortas ou desaparecidas, na luta entre guerrilheiros e forças do governo. / COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Mais conteúdo sobre:
Igreja CatólicaPaulo Vi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.