Max Rossi/ Reuters
Max Rossi/ Reuters

Papa pede perdão às vítimas de abusos por padres

Pontífice condenou a 'absoluta monstruosidade' no prefácio de um livro no qual o autor conta os abusos que viveu nas mãos de um religioso ao longo de quatro anos

O Estado de S.Paulo

16 Agosto 2017 | 12h14

BERLIM - O papa Francisco pediu perdão às vítimas de abusos por padres e condenou a "absoluta monstruosidade" e o "horrível pecado" no prefácio de um livro no qual o autor, Daniel Pittet, conta a violência que viveu nas mãos de um religioso ao longo de quatro anos.

"Estas são monstruosidades absolutas, um terrível pecado que contradiz totalmente o que a Igreja ensina", afirmou o pontífice no prólogo do livro que o jornal "Bild" publica com exclusividade.

O papa questionou "como é possível que um padre, consagrado a Cristo e à sua Igreja, chegue ao ponto de causar tanto mal?" e lembrou que muitas vítimas abusadas por religiosos durante a infância acabaram se suicidando.

"Estes mortos pesam no meu coração, assim como na minha consciência e na de toda a Igreja. Quero expressar meu amor e minha dor às suas famílias e humildemente pedir perdão", escreveu.

Em 2015, o pontífice conheceu Daniel Pittet no Vaticano e no texto restou a importância de seu testemunho chegar a outras pessoas, para que todos entendam "o quão profundo o próprio mal para o coração de um servo da igreja pode penetrar".

"Eu gostaria de agradecer ao Daniel, por seu testemunho e por conseguir superar o silêncio em face de escândalos e sofrimento, pois traz luz para a escuridão terrível que se esconde na vida da Igreja", disse ele/ EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.