Papa se diz profundamente chocado com tiroteio em catedral de Campinas

O pontífice transmitiu suas condolências em um telegrama assinado pelo secretário de Estado do Vaticano, Pietro Parolin

EFE

12 de dezembro de 2018 | 20h52

O papa Francisco expressou nesta quarta-feira, 12, "profunda consternação" por causa do tiroteio que aconteceu nesta terça-feira, 11, em missa na catedral da Arquidiocese de Campinas, com seis mortes. 

O pontífice transmitiu suas condolências em um telegrama assinado pelo secretário de Estado do Vaticano, Pietro Parolin.

"O Papa confia à misericórdia de Deus as vítimas e garante sua solidariedade e paz espiritual às familias que perderam seus entes queridos e toda a comunidade", diz. E conclui: "O Santo Padre convida a todos neste momento de dor para encontrar paz e força no Jesus ressuscitado, pedindo a Deus para que a esperança não desapareça nesta hora de teste, para que prevaleça o perdão e o amor sobre o ódio e a vingança."

O incidente ocorreu no final de uma missa realizada na terça-feira em uma catedral em Campinas, quando Euler Fernando Grandolpho, de 49 anos, se levantou de um dos bancos do templo e disparou ao menos vinte vezes contra os fiéis. O tiroteio matou seis pessoas, incluindo o autor dos disparos, que cometeu suicídio depois de ser ferido pela polícia. (Agência EFE)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.