Para Airbus, problema no reverso não impede vôo

A Airbus confirma que, pelos padrões internacionais, um avião pode ser autorizado a voar sem que o reverso da turbina esteja em pleno funcionamento. A empresa, com sede na França, se recusa a falar oficialmente sobre o caso e alerta que apenas se pronunciará quando as investigações estiverem concluídas. Mas fontes da companhia garantem ao Estado que a TAM estaria correta ao defender o vôo, mesmo sem o funcionamento do equipamento. Especialistas europeus também negam que a falta do reverso seja a causa principal do acidente e dizem que a TAM estava ainda dentro do prazo para consertar o defeito mantendo o avião em uso. "Não vamos comentar nada agora porque seria falar de hipóteses e meras opiniões", afirmou uma porta-voz da empresa, com sede em Toulouse. O reverso da turbina é usado para ajudar a frear a aeronave, mas, caso estivesse bloqueada, não significaria que o avião não poderia pousar, segundo os manuais da empresa. Cinco dos principais técnicos da Airbus foram enviados a São Paulo para ajudar nas investigações, assim como autoridades francesas. Segundo a empresa, eles já estão trabalhando no caso. Na opinião do especialista em aviação Pierre Condom, dois fatores podem ter pesado no acidente: a má apreciação das condições da pista pelo aeroporto e o fato de os pilotos terem subestimado sua capacidade de frear. A Airbus prefere não especular sobre os motivos do acidente, alertando que seria "inapropriado".

Jamil Chade, O Estadao de S.Paulo

21 Julho 2007 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.