Para Alckmin, pesquisas mostram que haverá segundo turno

O candidato da coligação PSDB/PFL à presidência da República, Geraldo Alckmin, disse nesta quarta-feira que as pesquisas de intenções de votos mostram claramente que haverá segundo turno nas eleições presidenciais deste ano. Ele se referia ao resultado das pesquisas do DataFolha e da CNT/Sensus. Ele avaliou que a tendência do eleitor é levar a disputa para o segundo turno, que a mensagem que está transmitindo está sendo bem recebida e que agora a campanha está começando.O candidato tucano avaliou ainda que o crescimento da candidatura da senadora Heloísa Helena (PSOL-AL) facilita um segundo turno. Segundo Alckmin, a senadora ocupa um espaço na disputa eleitoral. Ele disse que, quando tiver início o horário eleitoral gratuito na televisão, haverá possibilidade de o eleitor fazer comparação.Relatou, também, que esta recebendo apoios, como o manifestado hoje pelo candidato ao governo de Rondônia pelo PMDB, senador Amir Lando, que foi ministro da Previdência do governo Lula.Sobre apoio formal do ex-presidente Itamar Franco a sua campanha, Alckmin informou que terá um encontro com ele na próxima semana.NordesteDurante uma reunião que durou cerca de três horas nesta quarta-feira, o comando da campanha de Alckmin decidiu centrar fogo na Região Nordeste, onde o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, candidato à reeleição pelo PT/PRB, tem vantagem maior.Representantes nordestinos que integram o comando de campanha disseram que a estratégia será a de tornar Alckmin conhecido no Nordeste e levar para a região a discussão em torno de projetos locais, como turismo e água para o semi-árido. Eles lembraram, por exemplo, que há projetos inacabados de irrigação na região, com barragens feitas mas sem a complementação dos canais para irrigação. Alckmin disse que cada hectare irrigado permitirá a criação de três empregos.EstradasApós a reunião, Alckmin disse também que pretende fazer uma recuperação das estradas, já em seu primeiro ano de governo. Segundo ele, não será uma mera operação tapa-buraco, como a que foi feita recentemente porque, mesmo antes da chuva, boa parte do trabalho efetuado já se perdeu.O candidato disse ainda que a recuperação das estradas reduzirá acidentes, que são uma das principais causas de mortes no País, e custos de escoamento de safras e do transporte em geral.Alckmin disse também que, se eleito, pretende integrar as malhas rodoviária, ferroviária e hidroviária do País e que, para isso, sua equipe está analisando os gargalos nessas áreas de transportes.FebemO candidato disse que defende uma limitação do prazo de internação dos menores na Febem. Questionado sobre o assunto, ele disse que, após completar 18 anos, o infrator não deve mais permanecer nesse tipo de instituição. Nessa idade, segundo ele, a pessoa deixa de ser criança ou adolescente e, portanto, não há razão para ela permanecer na Febem.Nesse limite, em seu entender, o juiz deverá analisar se é caso da pessoa continuar internada ou não. Se for, deve ser transferida para uma penitenciária, mas ficar em área isolada, não junto com os demais presos. Segundo o candidato, atualmente há na Febem internos com até 21 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.