Para Berzoini, Serra está sendo poupado no caso sanguessuga

O presidente do PT, deputado Ricardo Berzoini (SP), afirmou hoje que o candidato do PSDB ao governo paulista, José Serra, está sendo "poupado" no caso da máfia dos sanguessugas, enquanto o ex-ministro da Saúde Humberto Costa recebe tratamento "extremamente duro". Na inauguração do comitê de campanha do presidente Luiz Inácio Lula da Silva à reeleição, Berzoini disse que "tem candidato com nariz crescendo" ao acusar petistas como Costa de envolvimento na quadrilha que fraudou a compra das ambulâncias. Foi uma referência indireta ao tucano Geraldo Alckmin, principal adversário de Lula. "Essa Operação Sanguessuga começou no governo anterior, de Fernando Henrique Cardoso, quando Serra era ministro da Saúde. É impressionante o tratamento diferenciado que a imprensa dá ao caso", protestou Berzoini. No depoimento do empresário Luiz Vedoim, chefe do esquema, não há menção conhecida ao candidato tucano ao governo de São Paulo nem a assessores do ex-ministro da Saúde. Coordenador-geral da campanha de Lula, Berzoini disse que a imprensa está sendo "omissa e complacente" em relação a Serra. "Já o ex-ministro Humberto Costa, que é candidato do PT ao governo de Pernambuco, é apresentado a todo momento como culpado", insistiu Berzoini. "Acho que devemos investigar tudo e não deixar sombra de dúvida pairando sem que haja apurações."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.