FACEBOOK/BRUNO REIS
FACEBOOK/BRUNO REIS

Para conter avanço da covid, Prefeitura de Salvador cancela show de réveillon

Prefeito ACM Neto afirmou que a decisão foi tomada como forma de alertar a população para o aumento de casos; evento teria apresentações de Ivete Sangalo e Gusttavo Lima

Bruno Luiz, Especial para o Estadão

07 de dezembro de 2020 | 22h40

SALVADOR - O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), anunciou na tarde desta segunda-feira, 7, o cancelamento da “live da virada”, que aconteceria no dia 31 de dezembro, na capital baiana. O evento, que seria realizado virtualmente e sem presença do público, teria apresentações de Ivete Sangalo e Gusttavo Lima, com transmissão de emissoras de TV e canais oficiais da prefeitura nas redes sociais.

Neto afirmou que a decisão foi tomada como forma de alertar a população para o aumento de casos da covid-19 na cidade. Além de cancelar a festa, o prefeito também anunciou interdição física da orla da Barra na virada do ano para evitar aglomerações. Um dos pontos turísticos mais famosos da capital, o local é tradicional palco de celebrações do Réveillon.

“Nós queremos mandar um recado para a população. Um recado de que, nos últimos 15 dias, as coisas pioraram muito. A situação está muito mais grave, muito mais preocupante. Infelizmente, dado esse aumento tão expressivo, o momento da entrada de 2021 não será momento para celebração. Ao contrário, estamos vivendo um momento de preocupação”, enfatizou o prefeito em entrevista coletiva.

A queima de fogos em vários pontos da cidade está mantida, mas os locais onde o espetáculo acontecerá não serão divulgados para evitar que multidões se aglomerem para assisti-lo.

Alguns números mostram o agravamento da pandemia em Salvador. Devido ao aumento na quantidade de casos da doença e na ocupação hospitalar, a prefeitura decidiu nesta segunda reabrir 40 leitos de UTI exclusivos para covid-19. O governo estadual também vai reforçar a rede de atendimento, com a instalação de outros 130 leitos UTI Covid na capital baiana. Salvador tem 100.832 casos positivos para o vírus e 2.769 mortes decorrentes da doença. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.