Para defesa, cálculo feito por ministro é 'inconsistente'

A defesa de Paulo Maluf reagiu ontem à informação do ministro Ricardo Lewandowski sobre desvio de R$ 1 bilhão na Água Espraiada. Para o advogado José Roberto Leal de Carvalho, "é inconsistente, e causa espécie, a menção feita pelo ministro". "O mesmo ministro afirma que a obra teria custado cerca de R$ 700 milhões". A defesa diz que vai provar por "laudo pericial fidedigno a falsidade da imputação."

O Estado de S.Paulo

01 Outubro 2011 | 03h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.