Para Defesa Civil, vazamento de óleo em Paranaguá foi detido

A expectativa da Defesa Civil é de que tenha parado o vazamento de óleo do navio Vicuña, que explodiu na noite do dia 15 quando descarregava metanol no Porto de Paranaguá, litoral paranaense."O que as pessoas que trabalham na contenção tem nos dito é que o óleo é do material contido no meio dos destroços e que aparece em decorrência do movimento da maré", disse o tenente Gilson Matos. "Não podemos afirmar que seja algum tanque rompido."Na segunda-feira à tarde, o secretário de Estado do Meio Ambiente, Luiz Eduardo Cheida, e o presidente do Instituto Ambiental do Paraná, Rasca Rodrigues, sobrevoaram os dez pontos mais críticos da baía de Paranaguá. A maior preocupação é com as áreas de manguezais, onde o óleo ficou retido. No mar, a mancha de óleo já está praticamente dissipada, levada pelas correntes de água.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.