Para delegado, grupo resgataria presos

O titular do Departamento de Polícia Judiciária do Interior(Deinter 7) Ivaney Cayres de Souza, considerou "um códigousado para despistar a polícia" a versão de que o grupo de 15 homens supostamente ligados ao PCC assaltaria um avião pagador no aeroporto de Sorocaba. Segundo ele, não havia pouso de aeronave com valores programado para esta terça-feira no aeroporto. Segundo as conversas gravadas pela PM, os bandidos pretendiam arrecadar R$ 28 milhões no assalto. Odinheiro estaria sendo transportado para uma indústria de cimentos da região. Funcionários do Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (Daesp), órgão que administra o aeroporto, negaram o pouso da aeronave.Segundo eles, há seis meses o uso da pista para o pouso de aviões pagadores foi proibido por razões de segurança. O delegado disse que o Departamento de Aviação Comercial (DAC) também negou a passagem do avião pagador. A empresa destinatária do dinheiro considerou absurdaessa hipótese. O delegado acha que o ônibus seria usado como "cavalo de tróia" numa operação de resgate, em um dos presídios da cidade. O alvo mais provável seria a Penitenciária Estadual Danilo Pinheiro, onde cumprem pena integrantes do PCC. Essa hipótese foi reforçada com a prisão, à tarde, em Salto, de um dos integrantes do bando, identificado como Evaristo Abreu Santos, que é fugitivo dessa penitenciária.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.