Para delegado, tráfico no Complexo da Maré "está dominado"

A polícia acredita ter acabado com a venda de drogas nas favelas do Complexo da Maré graças à ocupação, iniciada há cinco dias. Segundo o delegado Allan Turnowski, desde então, com exceção do primeiro dia, quando houve tiroteio e dois traficantes morreram, não houve mais confrontos na área - uma das mais violentas do Rio. Não há garantias, no entanto, de que a situação permanecerá assim com a saída dos policiais, prevista para a próxima segunda-feira. "Está dominado. Não há confrontos nem venda de drogas", afirmou Turnowski, que é coordenador das delegacias especializadas. Ele acredita que os líderes do tráfico na Maré tenham se refugiado em favelas também controladas pela facção criminosa Terceiro Comando e que seus subordinados ainda estejam na região, mas sem vender entorpecentes. A Maré, que tem localização estratégica - fica junto à Baía de Guanabara, por onde entram as drogas - é dominada por Paulo César Silva dos Santos, o Linho, traficante mais procurado do Rio. Ele movimenta 120 quilos de cocaína por mês, segundo informações da polícia. A área tem altos índices de criminalidade.Além de apaziguar as favelas e prender os bandidos da quadrilha de Linho, os policiais querem também conhecer bem a região, a fim de descobrir onde estão escondidas armas e drogas, e ganhar o apoio da população. Allan Turnowski disse que os moradores estão satisfeitos com a ocupação, por causa do fim dos tiroteios.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.