Para deputado, projeto ''aperfeiçoa'' legislação

Além do Rio, capitais como Curitiba, Salvador e Goiânia vêm adotando a restrição ao fumo

Felipe Werneck e Mônica Cardoso, O Estadao de S.Paulo

12 Agosto 2009 | 00h00

Ao declarar o voto, o líder do governo, Paulo Melo (PMDB), disse não ter vergonha de "copiar uma ideia extremamente bem-sucedida do Estado de São Paulo". Ontem, o governador José Serra informou ter pesquisa indicando que 94% dos paulistas aprovam a restrição, que vem sendo adotada de forma parecida também em Curitiba, Goiânia e Salvador. Melo ressaltou que o projeto de lei fluminense aprovado ontem "aperfeiçoa" a legislação do Estado de São Paulo. "Na natureza nada se cria, tudo se copia. A legislação na área de saúde é adaptável, tanto que até os Estados Unidos estão copiando uma medida do governo brasileiro, iniciativa do hoje governador José Serra quando era ministro", declarou Melo, referindo-se às imagens que ilustram rótulos de maços de cigarros. Para ele, o projeto fluminense é "mais restritivo". "Fomos incentivados por São Paulo, e aperfeiçoamos a lei." Melo justificou a exceção para tabacarias: "Só quem frequenta é fumante, ninguém entra nesses locais para comprar chiclete." Peças teatrais em que um ator precisar fumar estão garantidas no Rio, segundo o texto aprovado. O deputado disse que recebeu um telefonema de dirigentes do Instituto Nacional de Câncer (Inca), logo após a aprovação do projeto, "parabenizando o governo pela iniciativa." OUTRAS CAPITAIS Também nos moldes de São Paulo, Salvador proíbe, desde o dia 30 de julho, o consumo de qualquer produto derivado de tabaco em ambientes total ou parcialmente fechados. Os proprietários dos estabelecimentos têm até novembro para se adequar à norma. Em Goiânia, o prefeito Íris Rezende (PMDB) sancionou em junho a lei que bane o fumo em ambiente fechados. A lei entrará em vigor no início do próximo mês. Também com base na lei paulista, a Câmara de Curitiba aprovou lei semelhante na semana passada. Falta a sanção do prefeito Beto Richa (PSDB). Em São Paulo, o ex-prefeito Paulo Maluf (PP) já havia criado uma lei, em 1995, proibindo o fumo em shoppings, restaurantes e elevadores. Outras iniciativas de São Paulo também foram seguidas em outras cidades, como a Lei Cidade Limpa, que inspirou Cotia a adotar projeto semelhante, e o bilhete único, usado em Campinas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.