Para Dilma, pactos assumidos em meio a protestos de junho estão virando 'realidade'

Na avaliação da presidente, cinco compromissos firmados durante onda de manifestações pelo País estão sendo cumpridos

Ricardo Della Coletta e Rafael Moraes Moura, Agência Estado

22 Outubro 2013 | 13h31

BRASÍLIA - A presidente Dilma Rousseff fez um balanço dos cinco pactos propostos por seu governo, há 120 dias, como resposta às manifestações de rua em junho deste ano em todo País. "Os pactos respondiam às demandas dos movimentos de junho e convergiam como aquilo que o governo considerava ser as grandes questões que precisam de atenção", disse Dilma, em cerimônia de sanção da Medida Provisória do Mais Médicos, no início da tarde desta terça-feira, 22, em Brasília.

Dilma afirmou que os pactos propostos vêm se tornando progressivamente realidade. "Compromisso assumido tem que ser compromisso cumprido". A presidente abriu fazendo um balanço sobre o pacto pela responsabilidade fiscal, que é, segundo Dilma, a "mãe dos outros pactos". "Sem ele não há viabilidade para se exercer e executar os demais (pactos)", disse. "O compromisso do governo com a robustez macroeconômica e com os indicadores mostraram que o Brasil passa por esta crise com uma situação especial", completou.

Ela citou que o País mantém a "inflação sob controle" e disse também que o desemprego se encontra "num dos níveis mais baixos". "O orçamento fiscal está completamente sob controle", concluiu.

 

Mais conteúdo sobre:
pactos dilma protestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.