Para Dilma, projeto sobre mídia exige ampla discussão

A presidente eleita, Dilma Rousseff, disse que qualquer projeto que faça a regulamentação da mídia, como o que está sendo proposto pelo ministro da Comunicação Social, Franklin Martins, "com ou sem consenso", deve passar por uma ampla discussão.

João Domingos ENVIADO ESPECIAL / SEUL, O Estado de S.Paulo

12 Novembro 2010 | 00h00

"Olha, eu não falo a respeito do que fala o ministro. Não faço avaliação", disse. "O que acredito é que, como em qualquer processo, tem de haver uma grande negociação." Dilma afirmou que primeiro quer ver o projeto. "Deixa aparecer o projeto para eu avaliá-lo. Não tem lei, não tem projeto ainda. Nada me foi entregue."

Enfrentamento. Na segunda-feira, o ministro da Comunicação Social afirmou que a regulação do setor de mídias no Brasil vai ocorrer nem que para isso seja preciso enfrentar os adversários. "Nenhum grupo tem o poder de interditar a discussão. A discussão está na mesa. Terá de ser feita. Pode ser num clima de enfrentamento ou de entendimento", disse Franklin no seminário Comunicações Eletrônicas e Convergência de Mídias, organizado por ele em Brasília.

Os coordenadores do governo de transição - os deputados Antonio Palocci e José Eduardo Cardozo e o presidente do partido, José Eduardo Dutra - recebem Dilma em São Paulo amanhã, quando ela volta de Seul.

Será a primeira oportunidade para que Dutra relate a ela as conversas que manteve nos últimos dias com dez presidentes de partidos aliados, em que ouviu reivindicações de espaço no governo. O PSB não se contenta mais só com o Ministério de Ciência e o dos Portos. O partido presidido pelo governador Eduardo Campos (PE) ainda não fez pedido específico, mas cobiça pastas ligadas à área social ou de infraestrutura, como Integração Nacional, Transportes ou Cidades. / COLABOROU ANDREA JUBÉ VIANNA

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.