Para enfrentar volta às aulas, gorro e cachecol

Pela manhã, crianças usam luvas e muitas blusas

Valéria França, O Estadao de S.Paulo

07 Julho 2031 | 00h00

A volta às aulas foi marcada por uma manhã muito gelada. A madrugada de segunda-feira teve a mínima de 6,4 graus, a menor temperatura registrada no mês de julho desde 2001, quando os termômetros marcaram 5,6 graus, segundo a Climatempo. Em alguns pontos da cidade, o frio foi ainda mais intenso. Em Guarulhos, fez 3 graus, e no Instituto Astronômico e Geofísico da Universidade de São Paulo, na Água Funda, zona sul, 3,3 graus. Com temperaturas assim baixas, as crianças apareceram nas escolas praticamente embrulhadas, ontem de manhã, para o primeiro dia de aula. João Vitor Mutan Trofa, de 5 anos, saiu de casa às 6h30 com a mãe Fernanda. Vestia cachecol, luvas de lã, quatro blusas, um blusão de náilon vermelho, calça de pijama e uma outra do uniforme por cima. ''''Como fez muito frio durante o final de semana, deixei a roupa dele separada ontem (domingo) à noite'''', diz Fernanda. ''''Sabia que teríamos uma manhã fria. Deu pena tirá-lo da cama. Mas não pode faltar.'''' As mães se preocupam mais com o frio do que as crianças. ''''Meu filho estava muito ansioso para voltar ao colégio e não estava nem aí com o frio'''', diz a médica Rosângela Ruiz, mãe de Vinicius, de 9 anos. ESTILO CEBOLA Neste final de semana, o paulistano enfrentou as tardes mais frias dos últimos 16 anos. Às 15 horas - horário em que os meteorologistas medem a temperatura máxima do dia -, os termômetros não passaram dos 11,9 graus. No sábado, a combinação entre frio e garoa fina afastou os consumidores de ruas que costumam ficar bem agitadas, como a Rua Oscar Freire. ''''As pessoas ficaram escondidas em casa por causa do frio'''', diz a estilista Marisa Ribeiro, com três lojas em São Paulo, uma delas na Oscar Freire. ''''O comércio estava deserto. O pior é que estamos liquidando em pleno inverno. Isso significa prejuízo.'''' Algumas lojas lançam agora a coleção de verão. Para Marisa, o consumidor não acredita mais no inverno e por isso não investe em roupas adequadas. ''''Adota o estilo cebola, uma roupa por cima da outra.'''' As lojas de eletrodoméstico se deram bem com o frio intenso. A Fast Shop, do Shopping Paulista, na zona sul, vendeu todo estoque de aquecedores no final de semana. No domingo, quem ''''congelou'''' na fila de mais de uma hora para o último dia da exposição Corpo Humano, na Oca, no Parque do Ibirapuera, zona sul, não pôde contar com café ou chocolate quente ao entrar. Na lanchonete local, as bebidas quentes acabaram quatro horas antes do previsto. ''''Estávamos esperando esta queda da temperatura, por conta da massa polar que veio do sul'''', diz Marcelo Pinheiro, meteorologista da Climatempo. ''''O frio continua até sexta-feira, mas a temperatura sobe um pouco. A mínima da semana fica em 10 graus e a máxima chega a 23 graus na sexta-feira.'''' FRASES Fernanda Trofa Mãe de João Vitor ''''Sabia que teríamos uma manhã fria. Deu pena tirá-lo da cama'''' Marisa Ribeiro Estilista ''''O consumidor não investe em roupa adequada. Adota o estilo cebola, uma roupa por cima da outra'''' Rosângela Ruiz Mãe de Vinícius ''''Meu filho estava ansioso para voltar ao colégio e nem aí com o frio''''

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.