Para família, preso foi assassinado na delegacia

Sueli dos Santos, de 36 anos, e Marli dos Santos, de 32, irmãs de Sérgio, estão inconformadas com a versão da polícia - suicídio com o cadarço de tênis. Para elas, o irmão foi assassinado no DP. "Eles falaram que o Sérgio usou o papelão que forra o chão da cela para pegar o cadarço por baixo da porta", diz Marli. A Secretaria da Segurança Pública não confirma a versão e se resume a dizer que "ele cometeu suicídio". As irmãs foram avisadas da morte anteontem, por volta das 20h30. Sérgio deu entrada no 63.ºDP às 17h. Documentos, chaves, celular, cinto, alianças, relógio e pulseira do preso foram entregues aos parentes assim que Sérgio foi levado para a cela. "No envelope que a polícia entregou não tinha cadarço", afirma Marli.A Secretaria diz que o delegado Elton Richard Krull e o carcereiro encontraram Sérgio enforcado na porta da cela e cortaram o cadarço para prestar socorro. Ele já estava morto. A corregedoria vai investigar o que houve na cela e o IML deve divulgar laudo em até 30 dias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.