Para Garotinho, comparação de Benfica com Carandiru é covardia

Durante uma reunião na sede do PMDB no Rio, o secretário de Segurança Anthony Garotinho falou pela primeira vez após o fim da rebelião da Casa de Custódia de Benfica. Segundo ele, a sua participação se resumiu a três atitudes: mandou a polícia dar apoio e impediu que ela invadisse a unidade. ?Se a polícia entrasse com 24 reféns, poderia haver uma carnificina?. Sua terceira atitude foi mandar o pastor Marcos Pereira da Silva para negociar: ?O pastor entrou e arebelião acabou. Para Garotinho, a imprensa está fazendo com ele uma covardia ao comparar a rebelião com a chacina do Carandiru, em São Paulo. ?Para a tristeza deles (jornalistas), bandidos mataram bandidos. Mas a polícia sob o comando de Garotinho, não matou ninguém?.

Agencia Estado,

04 de junho de 2004 | 13h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.