Para Hartung, morte de juiz é tentativa de intimidar o Estado

O governador do Espírito Santo, Paulo Hartung, que está reunido com o ministro da Justiça, Márcio Tomaz Bastos, no Palácio Anchieta, disse, pela manhã, que o assassinato do juiz Alexandre Martins de Castro Filho, de 32 anos, "é uma tentativa de intimidar o trabalho que os poderes estaduais vêm realizando no sentido de acabar com o crime organizado no Espírito Santo". Um dos quatro juízes da Vara de Execuções Penais de Vitória, Castro Filho foi assassinado pela manhã, em Vila Velha, por dois homens que estavam em uma moto, quando chegava a uma academia de ginástica. "Isso é uma tentativa de intimidar, primeiro o Poder Judiciário, depois os demais poderes e também a própria sociedade capixaba. Mas essa tentativa de intimidação não dará certo. O Poder Público não permitirá que o Estado evolua no rumo que andou nos últimos anos", disse ele.Hartung acrescentou que o juiz vinha auxiliando nas investigações de combate à criminalidade no Estado. O governador discute com o ministro da Justiça medidas de reestruturação das ações de combate ao crime no Estado. "Não vamos cruzar os braços e não entraremos no jogo daqueles que acreditam que a brutalidade e a violência nos intimidarão. Vamos devolver a paz e a segurança ao capixaba. As polícias militar e federal já estão nas ruas e, de forma coordenada, estamos trabalhando no sentido de chegar aos executores dessa barbaridade", acrescentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.