Para Infraero, operação nos aeroportos foi um ''''sucesso''''

A Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) divulgou ontem nota comemorando o "sucesso da Operação Verão 2008". Lançado há 13 dias, o esquema tinha o objetivo de evitar que atrasos e cancelamentos de vôos voltassem a tumultuar os principais aeroportos do País, como ocorreu em 2006 por causa do overbooking praticado pela TAM. "Houve uma perfeita integração entre a empresa, a Agência Nacional de Aviação Civil e o Departamento de Controle do Espaço Aéreo", disse no comunicado o presidente da Infraero, Sérgio Gaudenzi.Apesar do acidente com o Airbus da TAM, em julho, das restrições operacionais impostas ao Aeroporto de Congonhas e da saída da BRA do mercado, Gaudenzi prevê um crescimento de 10% do número de passageiros transportados em 2007, na comparação com o ano anterior. "Em 2006, ultrapassamos 100 milhões de passageiros transportados, em 2007 devemos ultrapassar os 110 milhões", disse o presidente da estatal. "É um aumento normal no mundo todo."Os maiores porcentuais de atrasos de vôos foram registrados às vésperas do Natal, quando até 31% das partidas previstas saíram fora do horário. Embora o período de alta temporada continue até depois do carnaval, no início de fevereiro, as autoridades aeronáuticas consideram as festas de fim de ano a fase mais crítica.Ontem, o movimento foi tranqüilo nos aeroportos do País. De acordo com balanço divulgado pela Infraero, dos 1.457 vôos programados entre zero e 19 horas, 48 tiveram atrasos superiores a uma hora - o equivalente a 3,3% do total. Outros 222 (15,2%) haviam sido cancelados pelas empresas aéreas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.