Para Kassab, Meirelles é 'fortíssimo'

Prefeito diz que Afif também é cotado para 2012; para vice-governador, é natural aliança com PSDB

WELLINGTON BAHNEMANN, AGÊNCIA ESTADO, O Estado de S.Paulo

13 Outubro 2011 | 03h04

O prefeito Gilberto Kassab (PSD) reconheceu ontem o ex-presidente do Banco Central (BC) Henrique Meirelles como potencial candidato do partido para disputar as eleições municipais de 2012 em São Paulo. Na sexta-feira passada, Meirelles deixou o PMDB, filou-se ao PSD e transferiu seu domicílio eleitoral de Goiás para São Paulo.

"Meirelles é uma pessoa qualificada, conhecedor da cidade de São Paulo, tem espírito público e seriedade. Se for candidato, será um fortíssimo candidato. E, se vencer, será um excelente prefeito", afirmou Kassab. Apesar dos elogios ao novo colega de partido, o prefeito deixou claro que o PSD tem ainda outro grande nome para disputar a eleição municipal de 2012: o atual vice-governador do Estado, Guilherme Afif Domingos.

Em entrevista à Rádio ESPN/Estadão, ontem, Afif não comentou sobre uma eventual candidatura à Prefeitura paulistana, mas confirmou que a tendência é o PSD lançar um candidato próprio em 2012. "O prefeito Kassab, que é presidente do PSD, foi eleito. É mais do que normal e justo que ele proponha fazer o seu sucessor", disse.

Questionado se Meirelles seria o nome forte do partido para a sucessão na capital paulista, foi breve: "Não tenho dúvida que ele reúne todas as condições e qualidade para ser".

Enquanto a candidatura de Meirelles facilitaria o trânsito do PSD no PT - ele presidiu o Banco Central no governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de quem é próximo -, Afif defende um caminho alinhado ao PSDB em São Paulo. "Eu faço parte integrante desta aliança e vamos cumprir até o fim essa aliança."

Sobre a continuidade da união com o PSDB no Estado no futuro, Afif afirmou que "seria mais do que normal".

Kassab defendeu a mesma tese, mas admitiu a possibilidade de dialogar também com o PT. "Essa aliança (em SP) é integrada pelo governador Geraldo Alckmin, que tem no seu partido integrantes da nossa administração, pelo ex-governador José Serra, pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, pelo ex-governador Alberto Goldman e pelo vice-governador, Guilherme Afif", afirmou. "Portanto, é uma aliança que seria natural."

O prefeito explicou que quadros do PSD já têm experiência na convivência com o PT e que sua relação com a presidente Dilma Rousseff é a melhor possível.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.