Para Kassab, PSD não corre nenhum risco

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, minimizou ontem o impacto das suspeitas de irregularidades nas listas para criação do Partido Social Democrata (PSD), sigla da qual ele é fundador. No Rio de Janeiro, a Procuradoria Regional Eleitoral identificou fraudes nas assinaturas de apoiadores e, na semana passada, encaminhou o caso à Polícia Federal (PF).

Gustavo Uribe, O Estado de S.Paulo

18 Agosto 2011 | 00h00

Kassab disse que sua assessoria jurídica está convencida de que o pedido de registro do PSD será aceito e fez louvores às autoridades: "Elogio a ação valorosa e eficiente da Justiça Eleitoral". Os comentários foram feitos de manhã, na cerimônia de início das obras do Trecho Leste do Rodoanel Mário Covas. A obra terá 43,5 quilômetros e deve ser entregue em março de 2014.

O prefeito não quis comentar os encontros que terá amanhã em Brasília. Kassab ressaltou, contudo, que o novo partido não entrará na base de apoio do governo. "O PSD será independente", esclareceu.

Impugnação.[ ] [/ ]Um dos encontros em Brasília pode ser com líderes do PTB, para resolver o problema criado ontem em Cuiabá, no Mato Grosso do Sul - onde o presidente regional do PTB, Ivan Louzada, entrou com pedido de impugnação do PSD no Tribunal Regional Eleitoral do Estado.

Os petebistas alegam que o PSD foi incorporado pelo PTB em 2003. Assim, para obter registro no Tribunal Superior Eleitoral, a nova legenda precisaria de organizar diretórios de forma definitiva, e não provisória, em pelo menos 5% dos municípios de cada Estado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.