Para ministério, é pura vingança de Tuma Jr.

As informações divulgadas pelo delegado Tuma Jr., segundo o Ministério da Justiça, são uma vingança do ex-secretário nacional de Justiça, demitido do cargo em junho passado, sob suspeita de envolvimento com o chinês Li Kwok Kwen, o Paulo Li.

VANNILDO MENDES, O Estado de S.Paulo

24 Outubro 2010 | 00h00

Um mês antes, Li foi preso por chefiar um esquema de fraudes em importação de produtos eletrônicos, conforme série de reportagens publicadas pelo Estado em maio. Na ocasião, Tuma Jr. saiu atirando contra seus superiores. "A verdade virá à tona. Vão surgir fatos de que vocês vão se arrepiar, aguardem", disse ele logo depois de exonerado pelo ministro Luiz Paulo Barreto.

O delegado acabou inocentado, por falta de provas. Ele disse ter sido vítima de uma conspiração de mafiosos contra seu trabalho - da qual participariam políticos e autoridades do governo federal. "Vocês verão coisas cabeludas! O tempo vai restabelecer a verdade", afirmou Tuma Jr. - que hoje é delegado civil em São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.