Para ministro e secretário, situação em SP está sob controle

O ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, e o secretário de Assuntos Penitenciários de São Paulo, Nagashi Furokawa, afirmaram, que a situação no Estado, onde bandidos fizeram nos últimos dias diversos ataques contra a polícia, está sob controle. Para o ministro, que ofereceu ajuda da Polícia Federal e de inteligência ao governo paulista, a ação dos criminosos "é uma reação contra algumas medidas duras, inclusive aplicação de regime diferenciado nas penitenciárias". O secretário disse que o Estado não precisa de apoio do governo federal porque o que está ocorrendo em São Paulo, é ?um crime de natureza comum". Além de não precisar da Polícia Federal, Furokawa declarou que o governo estadual sequer cogitou o uso de Forças Armadas para controlar os últimos acontecimentos na capital paulista. O secretário, que espera que "não aconteça mais nada", observou que os ataques podem ter partido de dentro dos presídios. "É uma hipótese forte", afirmou ele, ao acentuar que "em hipótese alguma" a ordem para os ataques à polícia foi dada por meio de telefones celulares usados nas cadeias, mas por meio de pessoas - advogados e familiares -, que mantiveram contato com os presos.Indagado se os ataques foram organizados por integrantes do da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), que querem acabar com o sistema prisional diferenciado nas penitenciárias do Estado, Furokawa disse que a polícia levantou essa possibilidade como uma das possíveis e está sendo investigada. De acordo com Nagashi Furokawa, várias providências foram tomadas para evitar que os ataques se repitam, como o reforço de policiamento das ruas (com centenas de policiais), uma revista em 14 penitenciárias simultaneamente, com cerca de 600 homens, além da busca de informações. Furokawa esteve em Brasília para a posse do novo diretor do Departamento Penitenciário do Ministério da Justiça, Clayton Alfredo Nunes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.