Para o churrasco, jacaré e sucuri. A polícia estragou a festa

Uma denúncia anônima levou a Polícia Militar de Araraquara, na região de Ribeirão Preto, alocalizar Evandro Eduardo Roque, de 27 anos, num bar do Jardim Iguatemi, na noite de ontem. Roque pretendia fazer um"churrasquinho" para os amigos. No cardápio, além da cervejinha típica para a ocasião, uma boa quantidade de carne. Só que não convencional, mas exóticas: de jacaré e sucuri. Resultado: foi autuado por crime ambiental. O filhote de jacaré e a sucuri já estavam devidamente abatidos, prontos para temperar e colocar no espeto. Foram achados também os couros, vísceras e carcaças da cobra e do jacaré. Os dois espécimens teriam, segundo Roque, caído numa rede, no final de semana, num pesqueiro da vizinha e pacata Gavião Peixoto. As carnes podem ser apetitosas ou não, dependendo do paladar de cada pessoa, mas Roque levou uma multa salgada: R$ 612,00. Terá 30 dias para recorrer da multa. Não foi preso, não comeu as carnes, mas foi autuado por crime ambiental. Se forcondenado, poderá ficar preso de seis meses a um ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.