Para petista, rival critica, mas não assume o que faz

Candidata acusa Serra de repetir métodos de campanha de 2002 e diz que candidato não deve esconder a verdade

Fátima Lessa ESPECIAL PARA O ESTADO / CUIABÁ, O Estado de S.Paulo

26 de agosto de 2010 | 00h00

A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, voltou a criticar o principal adversário, José Serra (PSDB). Segundo ela, o tucano utiliza estratégias "incorretas" de fazer campanha, retomando métodos adotados na campanha de 2002.

"Ele faz coisa que não é correta. Tem realizado um movimento sistemático de fazer a crítica e esconder que está fazendo. É melhor assumir. Isso é uma tentativa de esconder fatos verdadeiros", disse a petista. "Em 2002, nossa arma era a esperança. Agora, além da esperança, temos a confiança do povo."

"Jabuti". A candidata também criticou a imprensa, afirmando que jamais se deixará pautar por "matérias jabuti" que, segundo ela, são "plantadas". Ela preferiu não comentar uma possível vitória no primeiro turno. "No dia 3 de outubro vamos saber se haverá segundo turno. Antes disso não tem como saber."

Para jornalistas e no discurso de menos de três minutos, Dilma elogiou Mato Grosso, dizendo que o Estado ocupa posição estratégica no País e no mundo. Ela defendeu que os Estados do Centro-Oeste se unam e criem um grupo para prevenir queimadas. A petista prometeu investimentos em infraestrutura, para facilitar escoamento da produção de grãos, e disse que, se eleita, vai ampliar o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.