Para PF, ex-assessor de Mercadante usou celular de laranja

Os cruzamentos dos mais de 800 telefones levantados pela Polícia Federal revelaram que um celular em nome de Ana Paula Cardoso Vieira, uma paulista de 26 anos, teria sido usado por Hamilton Lacerda, ex-assessor do senador Aloizio Mercadante (PT-SP) e apontado como o homem que levou o dinheiro ao hotel em São Paulo. O resultado do rastreamento das ligações feitas pelo celular pré-pago identificou que o telefone supostamente utilizado por Hamilton Lacerda ligou 24 vezes para Jorge Lorenzetti, o churrasqueiro predileto do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e apontado pela PF como suspeito de ser o arquiteto da operação de compra do dossiê; 33 vezes para um celular do comitê de campanha de Lula e 11 vezes para o ex-agente da PF Gedimar Passos, preso no Hotel Ibis com parte dos R$ 1,75 milhão destinados à compra do dossiê. O pré-pago também recebeu ligações. Foram pelo menos 10 originárias de um celular em nome do comitê de Lula; seis de Lorenzetti - cinco delas feitas de um celular e uma de um telefone fixo noescritório nacional do PT, em Brasília - e duas de Gedimar, que na hierarquia funcional do comitê de campanha de Lula era chefiado por Lorenzetti nas atividades de inteligência. Um dos telefonemas feitos por Gedimar supostamente para Hamilton Lacerda foi exatamente no dia 15 de setembro, quando foi preso pela PF com o dinheiro nas mãos. Há ainda ligações para o Rio de Janeiro e para a imobiliária HGL, de propriedade Lacerda.A análise da localização das chamadas e o perfil das ligações fez a PF concluir que, na verdade, o pré-pago era usado por Lacerda. Seria o seu"telefone seguro" na negociação do dossiê. O exame das chamadas reforça, ainda, a conclusão de que a operação de compra teria sidoconduzida por integrantes do núcleo da campanha do presidente e não um ato isolado do comitê de Mercadante, como se chegou a cogitar no iníciodas investigações. Elas também são uma evidência de que Lacerda sabe muito mais do que disse à PF. O ex-assessor de Mercadante declarou emdepoimento que levou a Gedimar no Hotel um laptop e boletos de Campanha.Na última semana, a CPI dos Sanguessugas recebeu as informações a respeito da quebra dos sigilos telefônicos dos envolvidos na compra dodossiê, entre eles os de Hamilton Lacerda e do pré-pago em nome de Ana Paula. A PF quer ouvir Lacerda nos próximos dias. Na CPI, seudepoimento está marcado para o dia 23 de novembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.