Para presidente da OAB, denúncias são sinal de alerta

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcante, reforça as preocupações do ministro da Controladoria-Geral da União (CGU), Jorge Hage, com os casos de corrupção envolvendo políticos no País. Para Ophir, as denúncias fazem acender "a luz amarela de alerta". E, como Hage, cobra uma mobilização da sociedade contra a situação.

, O Estado de S.Paulo

26 Setembro 2010 | 00h00

"É necessário que haja uma reação por parte da sociedade e das instituições. É importante que não haja a impunidade e que se combata a corrupção como um mal. Um mal que está surrupiando o dinheiro da saúde, da educação e do bolso do cidadão brasileiro, que contribui com seus impostos e com muitas dificuldades pessoais, enfrentando uma carga tributária escorchante", critica.

Além disso, o presidente da OAB entende que a liberdade de imprensa facilita o combate a esse tipo de crime.

"Este é um momento em que precisamos ficar mais alertas. E é também um momento em que é necessário muita coragem para enfrentar esses desafios. Para isso, temos de contar com a liberdade de expressão e de imprensa. E a liberdade de imprensa é que tem proporcionado essas denúncias, além da conscientização maior do cidadão a respeito do seu papel na sociedade", diz.

"O cidadão tem que ser o grande artífice da sociedade e não apenas um participante dela; é ele quem deve contribuir cada vez mais para construção de um Estado sério, democrático e livre da corrupção neste País", completa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.