Para Rosinha, saída de Beira-Mar não encerra problemas

A governadora do Rio de Janeiro, Rosinha Matheus, disse ontem à noite, após a saída de Fernandinho Beira-Mar do Estado, transferido para o presídio de Presidente Bernardes (SP), que não acredita no fim dos problemas. "Nós não podemos dizer que tudo está resolvido, mas devemos resolver um problema por vez. Desde a campanha eleitoral, eu sempre fui a favor da saída de Beira-Mar do Estado do Rio de Janeiro", afirmou a governadora.Segundo ela, fato do traficante comandar o narcoterrorismo na capital fluminense de dentro de uma cela do Présidio Bangu 1 não significa que o presídio não seja de segurança máxima, pois ele pode comandar tudo por meio das visitas que recebe. Em entrevista à Globo News, Rosinha disse que se o traficante estava preso até o momento em Bangu 1 é porque ?lá há segurança e o que houve foi um consenso e se decidiu transferir o traficante?. "O fato de Fernandinho sair de Bangu 1 não quer dizer que o presídio não tenha segurança. Nós precisamos descobrir quais são os outros cabeças", disse a governadora.O carnaval carioca contará com 26 mil homens da polícia patrulhando a cidade do Rio de Janeiro, informou a governadora.Para ajudar a entender a violência e o poder do tráfico no Rio de Janeiro: O Mapa do Tráfico no RioO tráfico de Beira-Mar Exército da Colômbia anuncia a prisão de Fernandinho Beira-Mar> Beira-Mar liga políticos e policiais ao tráfico> Fernandinho Beira-Mar é transferido para o Rio Beira-Mar lidera motim em Bangu e mata rivais De segurança máxima, prisões têm só o nome Bangu 1: 14 anos, 48 celas e muitas ´personalidades´A segurança máxima. Aqui e nos EUAUma penitenciária à prova de Beira-MarBeira-Mar: da infância pobre ao comando do tráficoVeja o especial:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.