Parada Gay ignora mau tempo no Rio

Debaixo de chuva, 800 mil pessoas, segundo os organizadores, participaram neste domingo, 30, da 11ª Parada do Orgulho GLBT - Gays, Lésbicas, Bissexuais e Transgêneros, na Praia de Copacabana. Políticos em campanha também aproveitaram a festa para pedir votos e distribuir panfletos. Até uma presidenciável, a senadora Heloísa Helena (AL), candidata pelo PSOL, participou da caminhada."Hoje é fácil botar a cara, pois é ano de eleição. Quero ver é no ano que vem aprovar projetos favoráveis a nós, como a união civil e a criminalização da violência contra homossexuais", disse a presidente do Grupo Arco Íris, Jussara Bernardes.Para o coordenador-geral da comissão organizadora, Claudio Nascimento, o mau tempo não prejudicou a festa, tanto que o número de participantes foi o mesmo do ano passado. "Não importa mais o número de pessoas, porque a Parada Gay já faz parte do calendário político e cultural da cidade", disse ele. O evento já é o terceiro maior do Rio, afirmou, atrás apenas do réveillon e do Carnaval.Abraçadas, as namoradas Fernanda Souza e Juliana Miranda falaram sobre a importância de participar da festa. "Queremos mostrar que não somos bandidas, somos como qualquer outro e temos orgulho disso", disse Fernanda. Apesar de namorarem há apenas um mês, o artista plástico Nílton Melo, de 44 anos, e o cabeleireiro Marco Antônio da Silva Gomes , de 28 anos, defenderam a aprovação do projeto da união civil, que tramita no Congresso. "Nós temos que defender essa oportunidades das pessoas se amarem", disse Melo.A transformista Kalena Rios , de 22 anos, nome de batismo Fernando, veio de São Paulo especialmente para a festa. Vestida apenas de maiô, muitos acessórios e a maquiagem carregada, disse que não estava com frio, "por causa do calor humano" . A 11ª Parada do Orgulho GLBT - Gays, Lésbicas, Bissexuais e Transgêneros , começou às 13h, com a concentração em frente ao Posto Seis, e percorreu toda a orla de Copacabana, até o Posto Dois. Vinte trios elétricos e 50 DJs embalaram a multidão. Celebrado mundialmente em 28 de junho, a festa deste ano foi adiada para 30 de julho para não concorrer com a Copa do Mundo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.