Parada Gay reúne 200 mil em São Paulo

Cerca de 200 mil pessoas participaram hoje da Parada do Orgulho de Gays, Lésbicas, Bissexuais e Transgêneros, na região central de São Paulo. Pela primeira vez em cinco anos, o evento foi aberto por um representante do Executivo municipal. A prefeita Marta Suplicy (PT) deu início à passeata com um discurso breve em que ressaltou o respeito que os paulistanos demonstram pelos homossexuais. Durante o trajeto, sobre o caminhão de som, a prefeita foi aplaudida."Foi uma festa cívica, da cidadania", disse Marta. "A vida inteira eu carreguei essa bandeira contra a discriminação e o preconceito. O que aconteceu aqui me deixa orgulhosa, porque mostra que quando se tem coerência as coisas acontecem." A prefeita disse ter planos maiores para a Semana do Orgulho Gay no próximo ano. Segundo ela, uma programação que se estenda por vários dias pode trazer dinheiro para a cidade. "São Paulo pode ser um pólo turístico, que atraia pessoas, que leve gente para os nossos hotéis e restaurantes", argumentou. Marta estava acompanhada pelo deputado federal José Genoíno (PT).Os gays, lésbicas, transgêneros e drag queens, ao lado de parentes e simpatizantes, percorreram a Avenida Paulista, a Rua da Consolação e Avenida Ipiranga animados por carros de som. Os cantores Édson Cordeiro e Elza Soares iniciaram sua apresentação com o Hino Nacional, cantando em seguida o hino da parada. A música composta para a ocasião fala do respeito às diferenças. A caminhada terminou na Praça da República, onde uma festa já estava preparada pela organização do evento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.