Parada Gay tem de pagar CET pelo evento; evangélicos não

A Parada do Orgulho GLBT terá de pagar a taxa cobrada pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) para organizar o esquema de trânsito no dia do evento, marcado para o próximo sábado, 17, na Avenida Paulista. A cobrança é prevista em lei e entrou em vigor neste ano. A mesma lei, no entanto, isenta do pagamento eventosreligiosos, como a Marcha Para Jesus, que acontecerá nesta quinta-feira, 15, na Avenida Paulista. A organização da Parada diz que não tem como pagar os R$ 80 mil cobrados pela CET. Nesta quarta-feira, 14, houve uma reunião na São Paulo Turismo (SPTuris) com representantes do evento e ficou acordado que oassunto seria levado ao prefeito Gilberto Kassab.À noite, a Prefeitura informou que não havia nada a ser feito para isentar a Parada do pagamento. Para isso, seria preciso mudar a legislação, mas não há tempo hábil para que isso seja feito até sábado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.