Paralisação acaba, mas trânsito em SP é acima da média

Os ônibus e os trens do Metrô circulavam normalmente em São Paulo por volta das 9h50 desta segunda-feira, segundo informações da São Paulo Transportes (SPTrans) e do Metrô, após a paralisação feita em protesto contra a Emenda 3. Apesar disso, o trânsito continuava complicado na capital, que registrou 106 quilômetros de lentidão às 9h30, de acordo com medição da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). Apesar da paralisação, a CET adverte que o rodízio de veículos não foi suspenso. Com isso, veículos com placas final 1 e 2 não puderam circular entre 7 e 10 horas e não poderão sair entre 17 e 20 horas. O índice ficou acima da média para o horário, que é de 90 quilômetros, segundo a CET. Às 9 horas, o índice chegou a ser o terceiro maior do ano, com 120 quilômetros de trânsito parado em toda a cidade. Os piores trechos de congestionamento continuavam no sentido centro da Radial Leste, indo da Rua Divinolândia até a Pça Franklin Roosevelt, chegando a 16 quilômetros de lentidão. O sentido Castelo Branco da Marginal do Tietê apresentava mais de dez quilômetros de lentidão na pista local, indo da Ponte Aricanduva até a Ponte da Casa Verde. Na manhã desta segunda, os coletivos começaram a circular por volta das 6 horas e todos os 28 terminais da cidade operavam normalmente no meio da manhã. O último terminal a entrar em funcionamento foi o do Jardim Ângela, na zona sul da cidade, que começou a funcionar apenas às 6h45. De acordo com a assessoria do Metrô, os trens circulavam normalmente, dentro dos intervalos normais da operação e não havia acúmulo de passageiros nas plataformas por volta das 9h30. Outras cidades Em Sorocaba, no interior de São Paulo, os protestos contra a Emenda 3, convocados pelas centrais sindicais, pararam totalmente o transporte coletivo, na madrugada e manhã desta segunda. Por conta da paralisação, algumas escolas tiveram de suspender as aulas. No Rio Grande do Sul, trabalhadores voltaram a protestar contra a Emenda 3 suspendendo transporte coletivo em Caxias do Sul e bloqueando tráfego na BR-116 na região metropolitana de Porto Alegre. Entenda o que é a Emenda 3 A Emenda 3 é um item incluído por parlamentares na legislação federal que criou a Super-Receita. Pela emenda, auditores fiscais ficariam proibidos de multar empresas prestadoras de serviços, mesmo se julgarem que esses contratos estejam disfarçados de relações empregatícias. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva vetou a emenda no dia 16 de março, mas o Congresso pode derrubar o veto e transformá-la em lei. Entidades acham que emenda representa uma agressão aos direitos trabalhistas - já que, em teoria, as empresas não teriam mais que respeitar a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) nas contratações. (Colaboraram Elder Ogliari, José Maria Tomazela e Solange Spigliatti.)

Agencia Estado,

23 Abril 2007 | 09h58

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.